Deixe um recado pra mim...

Encontre o que procura...

Google

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Homenagem aos valorosos integrantes do Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso, heróis da nossa sociedade


HISTÓRICO DO CORPO DE BOMBEIROS

MILITAR DE MATO GROSSO




Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Mato Grosso foi criado dentro da Polícia Militar na importante data de 19 de Agosto de 1964 por força da Lei nº 2184 (Diário Oficial de 25 Agosto 1964) no governo do Dr. Fernando Corrêa da Costa, quando era o Comandante da PM, o Sr. Coronel Luiz de Carvalho. Destinava-se ao "serviço de extinção de incêndio e salvamento".


A lei nº 2421, de 08 de Setembro de 1965, dispunha sobre a constituição do efetivo do Corpo de Bombeiros e dava outras providências. Nesta data estava formada a Companhia Independente de Bombeiros. Logo depois, no dia 13 de Outubro do mesmo ano, foram aprovados os quadros de efetivos e da Organização pormenorizada da Companhia Independente do Corpo de Bombeiros da PMMT.





Somente em Fevereiro de 1967, passou a funcionar operacionalmente a Companhia Independente do Corpo de Bombeiros da PMMT com o quadro efetivo de 42 homens e tendo como comandante o então 2º Ten PM Amilton Sá Corrêa, que voltara do curso de Especialização de Bombeiros no Corpo de Bombeiros da Polícia Militar de São Paulo, curso este que funcionou no período de 23 de fevereiro a 06 de Julho de 1966.


Isto porque a sociedade reclamava a proteção e a atuação operacional dos valorosos SOLDADOS DO FOGO.


A visão de uma modernização e a criação de um "Novo Mato Grosso" e o espírito dinâmico do então governador Dr. Pedro Pedrossian é que fez com que fosse determinado que o serviço de extinção e salvamento funcionasse o mais rápido possível.


O 2° Tenente Amilton Sá Correa, tão logo se apresentou, a Secretaria da Segurança Pública determinou a ele que fizesse um "Projeto de Instalação" baseado em normas administrativas e operacionais, com o fim de prever e conseqüentemente prover os meios e recursos necessários a um perfeito funcionamento das múltiplas atividades profissionais e desta forma, contribuir com a segurança para as primeiras implantações de indústrias e novas empresas na Grande Cuiabá, propiciando a estas e à população, garantia e tranqüilidade.


A seguir foi estimada a Receita para o Exercício financeiro de 1967 e a 25 de Novembro de 1966 era aprovado o Orçamento, tudo de acordo com a Lei n. º 2704 – razão porque o Cel José Walbran Jucá, respondendo pelo expediente da Secretaria, fez publicar o edital de chamada de candidatos para preencher os quadros de Bombeiros depois de instruídos e adaptados à profissão. (Diário Oficial de 20 de Janeiro de 1967).


Foi designado para assumir interinamente as funções de Comandante do Núcleo de Formação do Corpo de Bombeiros, o 2º Ten PM Amilton Sá Corrêa, conforme fez público o boletim do Comando Geral de 19 de Janeiro de 1967.


Ao apagar das luzes deste ano aconteceu um fato pitoresco. Por algum desentendimento entre o comando interno da PM e do núcleo de Bombeiros, todos os componentes do Corpo de Bombeiros ficaram presos por trinta dias, por terem manifestado solidariedade ao seu Comandante, que, por motivos nada graves, fora recolhido ao Estado Maior da PM.


Entretanto, isso nem desabonou o Corpo, nem interferiu no bom andamento dos seus trabalhos, pois ainda estava ele em fase de organização e as instruções continuaram a ser ministrada, aparelhando-se para o seu funcionamento em caso de sinistro. Assim, foi ele crescendo e em 16 de Abril de 1973 (Lei n. º 3322), era criado o Comando do Corpo de Bombeiros e mais três destacamentos situados em Cuiabá, Campo Grande e Corumbá.


A Lei n. º 3539 de 19 de Junho de 1974 reorganizou a PMMT, estipulando que o Comando do Corpo de Bombeiros e unidades operacionais seriam constituídos de Grupamentos de Incêndio e de Sub-grupamentos.


Em face da inspeção feita pela IGPM (Inspetoria Geral das Policias Militares), chegaram à conclusão que o 1º GI deveria ser rebaixado a um Sub-grupamento de Incêndio, dando origem à nova Lei, que oficializou essa denominação até hoje.


O Corpo de Bombeiros da Polícia Militar continuou a desenvolver e, na data de 05 de Outubro de 1988, quando da Promulgação da Constituição Federal, ficou evidenciado que os Corpos de Bombeiros Militares tratava-se de Unidades Autônomas e Desvinculadas da Polícia Militar, ou seja, como entidades independentes, isto é registrado nos artigos: 22, 32, 42 e 125. Porém, destes dispositivos constitucionais o de maior contundência é o Artigo 144, que individualiza, sem contestações e sem dúvidas, as atribuições do Corpo de Bombeiros e da Policia Militar.


A partir de Março de 1994, concluiu a proposta de emancipação enviada ao Governo do Estado de Mato Grosso.


Pelo Decreto n. º 4795 de 05 de Julho de 1994 define-se a Disciplina de desvinculação do CBM da PM/MT.


Em 10 de Outubro de 1994, a Lei Complementar n. º 32 dispõe sobre a Organização básica do CBM/MT.


À 1º de Novembro do mesmo ano, o Decreto n. º 5182 dispôs sobre a estrutura organizacional do CBM/MT.


No dia 24 do mesmo mês e ano, a Lei n. º 6554 resolve sobre o efetivo.


Em Dezembro é aprovado o Quadro de Organizações do CBM/MT.


Em 28 de Outubro de 1994, foi finalmente assinada a Emancipação do CBMT.


EMANCIPAÇÃO – Em 1994, no dia 28 de outubro, através de Lei Complementar, que dispôs sobre a organização básica do Corpo de Bombeiros a corporação foi contemplada com a sua emancipação da Polícia Militar.

A partir daí o CBPM/MT se tornou o CBM/MT e passou a ter autonomia administrativa e financeira, subordinado, hierarquicamente, ao Governador e vinculado à Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública.

FASE DO BALDE De 1983 a 1984 as viaturas, de origem alemã em sua maioria, estavam indisponíveis por falta de manutenção especializada e pela escassez de peças de reposição no Brasil. Os bombeiros entraram na “fase do balde”, o que rendeu materiais para os chargistas e jornalistas da imprensa cuiabana. As ocorrências começaram a ser atendidas com uma viatura C-10, dois baldes, algumas mangueiras velhas, garra e boa vontade dos bombeiros.

A fase terminou em 1985 com a aquisição de 23 viaturas, dentre as quais, uma Auto Escada Mecânica Cimasa, viaturas e materiais de combate a incêndio, busca e salvamento. Com a chegada destas viaturas iniciou-se um processo de descentralização dos quartéis para o interior do Estado (Várzea Grande, Rondonópolis e Barra do Garças), já que havia mais disponibilidade de veículos e equipamentos.
Após a emancipação o Corpo de Bombeiros se tornou uma organização forte e com isso deu-se início a estruturação do órgão através da assinatura de convênios que possibilitarão um melhor desenvolvimento aos trabalhos.

Alguns setores como áreas operacionais e de ensino e a criação e efetivação de cursos dentro do Estado geraram, entre outros benefícios, à sociedade, economia para a corporação, uma vez que as capacitações eram realizadas, anteriormente, fora no âmbito estadual, onerando os cofres da instituição.


Foram criados alguns avanços estruturais e administrativos como a criação Fundo de Reequipamento do Corpo de Bombeiros Militar (FREBOM) que fomentou algumas áreas importantes do CBM/MT.


O comando começou em um espaço improvisado nos fundos do 1º Batalhão de Policia Militar.


Aquartelamentos da História do CBM/MT.


1- NFCB – Antiga enfermaria do 1º BPM – Porto – (Jan 1967).
2- NFCB – Prédio do antigo DOP – pça Ipiranga – (1967).
3- 1º DCB – Prédio onde funciona a atual Cia P Rp – Coxipó da Ponte, em frente à UFMT – (1971).
4- Prédio Próprio – Av. Agrícola Paes de Barros, 123- Verdão (1974).

Obs: - 3 (três) anos após, houve o desmembramento e o CCB funcionou:

1- Anexo ao Cmdo Geral – Av. Getúlio Vargas.

2- No prédio em construção do Quartel do 1º SGI/CB.

3- Na antiga sede da Cia. P Tran – Praça Santos Dumont.

4- Na antiga sede da Cia. P Tran – Praça Bispo Dom José.

5- Funciona desde 1980, anexo ao 1º SGI – Bairro Verdão.

6- Rua Manoel dos Santos Coimbra, 282 – Morro da Luz – centro, Cuiabá.

7- Complexo Paiaguás – C.P. A. – Cuiabá -MT.



Viaturas


A primeira viatura que o Corpo de Bombeiros de Cuiabá possuiu, foi uma antiga, doada à Prefeitura Municipal de Cuiabá pela Prefeitura Municipal de São Paulo, a título de Comodato, a qual consistia num Auto Tanque, em precárias condições de uso, denominada de "Big-Job" , a qual era utilizada apenas como meio de transportes da Guarnição para o local de ocorrência, em virtude de não mais dispor de seus equipamentos.



Devido ao alto índice de atendimento de ocorrências e a grande explosão demográfica que se registrava, foram adquiridas duas viaturas em 1968, sendo um Auto Bomba Tanque (ABT) tipo Chevrolet e outro tipo C-10, destinados aos serviços de combate a incêndio, de busca e salvamento, respectivamente.

Porém, com o passar dos anos, essas viaturas já não mais atendiam as necessidades satisfatoriamente. Foi assim que o Comandante Geral, da época, Sr. Cel. PM Euro Barbosa de Barros agilizou a compra de mais viaturas especializadas, em convênio, Governo do Estado com o Banco da Amazônia S.A. (BASA), resultando disso, as aquisições das seguintes viaturas:

A – 2 (dois) Auto Escadas Mecânicas (Magirus Deutz), sendo uma para Cuiabá e outra para Campo Grande.

B – 1 (um) Auto Transporte.

C – 1 (um) Auto Iluminação.

D – 1 (um) Auto-bomba Tanque.

E – 1 (um) Hidroquímico 2300 (Magirus Deutz).

F – 1 (um) Auto Hidroquímico 1800 litros (Magirus Deutz).

G – 1 (um) Auto Salvamento.

H – 2 (duas) C-1414 (Busca e Salvamento).

Visite o site do Corpo de Bombeiros na coluna lateral deste blog.


Parabéns a esse heróis, pelo "Dia do Bombeiro"!
Recebam os cumprimentos e a reverência deste blog!

Um comentário:

MaNiNhO disse...

Olá Oscar!

É com muito prazer que recebo seu comentário. e a respeito do link, é claro que pode sim, e pode deixar que não deixarei de divulgar seu trabalho.

Abraços!!!

obs: É um prazer imenso tê-lo como amigo.