Deixe um recado pra mim...

Encontre o que procura...

Google

domingo, 4 de maio de 2008

Perigo! Perigo! Portão do Inferno na Chapada dos Guimarães sob risco de desabamento!



PORTÃO DO INFERNO
Especialistas alertam sobre acidente na ponte

Wisley Tomaz
Especial para A Gazeta

O surgimento de uma cratera com quase o tamanho de um veículo popular, com aproximadamente 3 metros de comprimento, embaixo da ponte que contorna o Portão do Inferno, em Chapada dos Guimarães, pode levar à uma situação idêntica ou até pior do ocorrido no paredão da cachoeira do Véu de Noiva - no dia 21 de abril - que matou uma adolescente de 17 anos, deixou quatro pessoas em estado grave e causou lesões em outras 30. A afirmação é de dois especialistas das universidades Federal de Mato Grosso (UFMT) e de Guarulhos (SP).

O fluxo de veículos pesados, como carretas e bitrens na MT 251, que liga Cuiabá ao município de Campo Verde, é o motivo principal de um provável acidente, já que está constatado a ocorrência de rachaduras em determinadas partes da ponte. Os caminhoneiros estariam usando a rodovia para desviarem, tanto do Posto da Polícia Rodoviária Federal na Serra de São Vicente, como do trânsito na BR-364, considerado complicado em determinadas horas. Um outro atrativo para os caminhoneiros é que a rodovia está recebendo camada asfáltica nova, no trecho entre Chapada dos Guimarães e Campo Verde, tendo apenas cerca de 40 quilômetros a ser concluídos até o fim de 2008.

A reportagem acompanhou uma visita técnica dos pesquisadores na região, onde eles afirmaram que o local tem que ser interditado imediatamente, pois da forma que está oferece risco às pessoas que trafegam por lá. Outro fator observado pelos professores-doutores Prudêncio de Castro (departamento de Geologia da UFMT) e Antônio Manoel dos Santos Oliveira (do Centro de Pós Graduação, Pesquisa e Extensão-Ceppe, da Universidade de Guarulhos), é que o paredão da encosta da ponte do Portão do Inferno está sofrendo um rápido processo erosivo em função, também, da passagem dos veículos pesados.

"Na medida que esses caminhões passam pela ponte tudo aqui treme, daí a queda de blocos rochosos embaixo dela e também no paredão. Se a passagem deles não for proibida imediatamente vamos ter um acidente nunca visto antes aqui, com inclusive mais vítimas do que esse que houve no Véu de Noiva. Já pensou se esse local despenca no momento em que estiver passando um ônibus de turistas ou de estudantes?", indaga o professor Prudêncio de Castro, que ainda diz que as autoridades competentes estão sendo alertadas já faz um tempo, mas parecem estarem esperando algo trágico acontecer para tomar providências.

Desde o ano passado que o jornal A Gazeta alerta quanto a um provável acidente no local, em reportagem veiculada no dia 25 de setembro. Na época foi destacado o desmoronamento de uma lasca do desfiladeiro no Portão do Inferno, também em função da passagem de caminhões. Segundo o professor Antônio Manoel, de Guarulhos, a estrutura da rodovia não foi projetada para suportar esse tipo de trafegabilidade. "Essa estrada tem que ser usada como uma Rodovia Parque, ou seja, apenas pequenos caminhões, carros de passeio e ônibus de turistas devem passem por aqui".

O promotor de Justiça de Chapada dos Guimarães, Jaime Romaquelli, disse que também entende que o tráfego de veículos pesados na MT-251 está causando problemas ambientais não só no Portão do Inferno, bem como em outros pontos do Parque Nacional. Contudo, o Ministério Público só pode agir se um estudo detalhado for realizado e que uma denúncia seja apresentada desse estudo.

Outro Lado - A Secretaria de Estado de Infra-Estrutura (Sinfra), se manifestou por meio de sua assessoria de imprensa, já que seu secretário Vilceu Marcheti, disse não falar mais sobre o assunto. À Sinfra compete a questão estrutural das rodovias no Estado. Conforme foi informado, "os engenheiros da Sinfra estiveram na MT 251 para verificar as condições da ponte e ficou constatado que a rodovia está em condições normais de tráfego. A afirmação está no laudo técnico realizado, onde foram feitos dois estudos: um sobre o tráfego de veículos na estrada, outro sobre as condições do viaduto do Portão do Inferno.

Os relatórios de tráfego foram realizados nos dias 29 e 31 de agosto e entre 23 e 29 novembro der 2007, em caráter quantitativo e qualitativo.

Documentos da Sinfra apontam que tráfego diário médio de 3,3 caminhões com quatro eixos (capacidade máxima de 34,6 toneladas), nos dois sentidos; 16 com cinco eixos (capacidade máxima) 43,5 toneladas; três com seis eixos (capacidade máxima 50,9 toneladas) e nenhum com o peso acima de 50,9 toneladas. Vale ressaltar que a rodovia comporta caminhões com até 57 toneladas. O limite de carga da rodovia, como de qualquer outra estrada é definida pelas resoluções do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e as leis do Código de Trânsito Brasileiro, entre elas a 9.503 de setembro de 1997 e 6.602 de janeiro de 1998."

Fonte: Gazeta Digital

2 comentários:

Maria Fernanda disse...

Vou ter que comprar um jatinho...
bjs

Renata Emy disse...

Putz, e agora?

E o carnaval?

E o festival de inverno?

Ahhhhhhhhhhhhhhhhhh!!! [Grito!]

Falando sério agora, como vão construir o desvio da pista?

Será um transtorno e imagina o impacto ambiental que causará?

Vixi!

Enviei seu post por mail p/ meus irmãos, foi até p/ o Japão meu querido! =D

Bjo